18.11.05

Ausência do tudo, ou do nada...

Tinha tudo... Era nada... Falava o que ouvia... parecia mais um papagaio que um ser humano, não que esse pequeno animal tenha culpa de apenas repetir... é da natureza dele, mas apenas dele. Um homem devia falar como pensa... Sim, usar o que tem dentro da cabeça. Mas nesse caso ficava dificil. Parecia ter um daqueles gravadores no lugar que os outros chamavam de cérebro! Sim... o que lia, usava... o que ouvia, usava.. Mas naum para construir-se, e sim integralmente... como se fossem suas as idéias. Tinha tudo e nada ao mesmo tempo. Queria ser algo mas nem ao menos simples personalidade existia ali dentro. Andava como um sopro de ar que naum tem direção nem rumo... ou talvez até o ar tivesse mais direção que ele.
E perdeu-se... sem antes achar o que era.
E nem forças para gritar tinha. Não tinha aprendido a gritar com sua própria loucura.
E mesmo louco contagiou... e fez grande parte da humanidade repetir o que ele fazia!

Sim... é preciso pensar! Mas antes saber o que é pensar!

4 comentários:

aninha disse...

somos plágios em potencial ou somos seres livres?

†.MeL.† disse...

Sem comentárioos!
Qnduh eu flo q vc eh a melhoR escritora non eh atoaa amoree,non MSMO!!!!!!!!!!
Tinhaamu fofuráá q tm maçã na bok hauehauehua
=*

tigresse disse...

somos, muitas vezes, nos silêncios, não nas palavras.

execelente reflexão :*

NowhereDan disse...

He's a real nowhere Man,
Sitting in his Nowhere Land,
Making all his nowhere plans
for nobody.

Doesn't have a point of view,
Knows not where he's going to,
Isn't he a bit like you and me?

Mandinha, muito legal o seu Blog!! Passei uma agradavel tarde lendo =D. E so por essa vez, quando achei que essa musica dos Beatles [que da nome ao meu nick e ao meu blog] se encaixa no seu texto.

Beijão!